Não há Turmas disponíveis no momento. Avise-me sobre novas turmas

Sobre o curso

O Técnico em Florestas possui as competências que possibilitam a exploração de florestas de forma legal e responsável, sejam quais forem os objetivos dessa atividade, exercendo processos e procedimentos com tecnologias e atividades que devem ser planejadas e executadas com cuidado à luz da legislação vigente e que, em ambos casos, existem possibilidades de geração de renda, riqueza e manutenção da diversidade ambiental brasileira.

O que vou aprender?

Realizar estudos socioambientais 108 horas de duração
  • Contexto histórico ambiental: Conferências ambientais e acordos internacionais.
  • Contexto socioambiental: Conceitos, identificação dos conflitos ambientais locais e interferência da atividade antrópica nos meios sociais, econômicos, culturais e ambientais regionais.
  • Estatística aplicada ao Meio Ambiente: Fundamentos e Cálculos estatísticos.
  • Estudos Socioambientais: conceito, objetivos, modelos, aplicações e relevância socioambiental.
  • Indicadores Socioambientais: Definições; instrumentos e procedimentos para a coleta e análise de dados; Agenda 21: conceito e finalidade.
  • Legislação: Constituição Federal Defesa e preservação ambiental.
  • Metodologia de pesquisa: técnicas, ferramentas e instrumentos, Plano de Execução, apresentação de dados, Normas técnicas e técnicas de apresentação.
  • Planejamento de Carreira: mundo do trabalho; formas de inserção no mercado de trabalho; marketing e apresentação pessoal; preparação de currículos; entrevista de emprego; equipe multiprofissional.
  • Política Nacional do Meio Ambiente: princípios, fundamentos e objetivos.
  • Problemática Ambiental: transformação dos espaços naturais; tipos de uso e ocupação do solo; contextualização da extração irracional dos recursos naturais; adensamento populacional: conceitos e impactos na infraestrutura urbana; e formas de degradação ambiental do ar, água e solo aplicados ao estudo socioambiental.
  • Sistema de Informação Geográfica (SIG): Conceito; Cartografia: mapas, cartas, escalas, imagens aéreas, plantas e croquis; Ferramentas de modelagem de dados aplicados aos estudos socioambientais: Geoprocessamento e software aplicados a referenciamento ambiental; e Mapas temáticos socioambientais e econômicos (green maps).
UC2 - Coletar, identificar, e conservar sementes florestais 72 horas de duração
  • Armazenamento de sementes: local de armazenagem, fatores de conservação na armazenagem, embalagens para conservação, longevidade e deterioração.
  • Bancos de germoplasma para a conservação de espécies florestais: conceito, planejamento, aplicação e normas pertinentes. Conservação in situ e ex situ, principais bancos de germoplasma, tecnologias aplicadas.
  • Beneficiamento de sementes florestais: secagem, retirada de cascas, despolpamento, retirada de impurezas, separação de sementes.
  • Coleta de sementes florestais: planejamento de acordo com época do ano, localização das matrizes, finalidade das espécies, técnicas de coleta e quantidade de sementes.
  • Controle de qualidade de sementes florestais: determinação e quebra de dormência, análise da qualidade fisiológica das sementes, qualidade sanitária da sementes, normas pertinentes.
  • Definição de sementes: aspectos fisiológicos e morfológicos envolvidos na formação e germinação, meios de dispersão e funções das sementes.
  • Sementes ortodoxas e recalcitrantes: conceito e diferenças.
Elaborar e organizar documentos técnicos ambientais 108 horas de duração
  • Documentação para Estudos técnicos: Estudo de Impacto Ambiental; Relatório de Impacto Ambiental; Plano de Controle Ambiental; Relatório de Controle Ambiental; Relatório Ambiental Preliminar; Estudo de impacto de Vizinhança; Recuperação de Áreas Degradadas; Perícia Ambiental.
  • Legislações: Crimes ambientais contra a fauna e flora. Poluição do ar, água e solo. Licenciamento Ambiental.
  • Licenciamento Ambiental: Conceito; Tipos de Licenças Ambientais; Órgãos Ambientais responsáveis pelo Licenciamento; Atividades sujeitas ao Licenciamento Ambiental; Etapas, documentações e sistemas informatizados.
  • Relatórios e documentos internos: Modelos e estruturas de cada tipologia/gêneros textuais. Linguagem técnica. Processo de Comunicação. Gestão do conhecimento.
Executar atividades no processo de produção de mudas em viveiros florestais 60 horas de duração
  • Cálculo de produtividade e consumo de recursos: aplicabilidade.
  • Critérios para implantação do viveiro florestal: localização, acessibilidade, declividade, fonte hídrica, solo, disponibilidade de eletricidade, iluminação.
  • Infraestruturas para a operacionalização do viveiro florestal: casa de vegetação, área de rustificação, câmara de armazenamento, canteiros de semeadura, canteiros de produção, sistema de irrigação.
  • Insumos para a produção de mudas florestais: substratos, adubos, defensivos, sementes.
  • Métodos de produção de mudas: tipos de recipientes, semeadura direta e indireta.
  • Métodos de propagação: sexuada e assexuada.
  • Sequência de atividades do viveiro florestal: semeadura, irrigação, adubação, controle de pragas e doenças, rustificação, podas e expedição de mudas.
  • Tipos e finalidades dos viveiros florestais: viveiros temporários e permanentes, florestamento, reflorestamento e arborização.
Executar atividades de planejamento, organização e monitoramento do manejo do solo 96 horas de duração
  • Capacidade de uso e manejo do solo: conceitos, grupos, classes, subclasses, estudo da aptidão edafoclimática da região.
  • Código Florestal: Preservação de recursos hídricos e de solo
  • Fatores relacionados a degradação do solo: erosão, salinização, compactação, contaminação química, assoreamento, consequências.
  • Fertilidade do solo: conceitos de fertilidade e produtividade, lei do mínimo, reação do solo, critérios de essencialidade de nutrientes, propriedades químicas do solo, macro e micronutrientes, matéria orgânica e organismos do solo, adubação e correção do solo, adubação verde, análise do solo, análise foliar, diagnose de deficiência nutricional, coleta de amostras.
  • Legislação aplicável a manejo de solo
  • Matemática Básica: regra de três e porcentagem.
  • Política nacional de meio ambiente: conservação do solo.
  • Princípios básicos do manejo e conservação do solo: conceito de solo, tipos de solo, propriedades físicas do solo, manutenção e recuperação da capacidade produtiva.
  • Sistemas de manejo do solo: preparo convencional, cultivo mínimo, plantio direto
Executar atividades silviculturais 96 horas de duração
  • Desenvolvimento de espécies cultivadas: etapas de crescimento, idade de corte, produtividade.
  • Formação e exploração de florestas: conceito de silvicultura, terminologias florestais, tipos de exploração florestal, produtos florestais madeireiros e não madeireiros.
  • Modo de produção: produção de mudas, florestamento e reflorestamento, implantação de povoamentos comercias, espaçamento, adubação, irrigação, tratos culturais, métodos de plantio, condições edafoclimáticas para a escolha de espécies florestais.
  • Sistemas agroflorestais: conceitos, tipos de manejo, implementação e desenvolvimento de SAF’s, espécies utilizadas, caracterização da área utilizada, classificação, utilização e recomposição de reserva legal, benefícios sociais, econômicos e ambientais.
Executar atividades de planejamento, organização e monitoramento do manejo florestal 60 horas de duração
  • Macro e micro planejamento de áreas: conceito e aplicabilidade.
  • Manejo de florestas nativas e cultivadas: Diferenciação, manejo florestal de impacto reduzido, manejo florestal convencional de florestas nativas.
  • Manejo florestal: conceitos, princípios, tipos e aplicação. Mecanismos de sustentação do ecossistema.
  • Matemática básica: regra de três, porcentagem e noções de estatística.
  • Mensuração da capacidade produtiva de povoamentos florestais para efeito de prognose ou prescrição de manejo: conceitos, características ambientais relacionadas a capacidade produtiva, fatores ecológicos e edafoclimáticos.
  • Organização do plano de manejo florestal para a obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais em florestas nativas e plantadas.
  • Proteção ambiental: procedimentos, ocorrência de incêndios.
  • Técnicas de manejo florestal madeireiro: desrama natural e artificial, seleção e classificação das espécies florestais, desbaste, regime de alto fuste, regime de talhadia.
  • Técnicas de manejo florestal não madeireiros: resinagem, produção de óleos, produção de frutos, extração de látex, extração de taninos, produção de mel e coleta de sementes.
Inventariar Florestas 72 horas de duração
  • Cálculo de crescimento de árvores: conceito e aplicação.
  • Estatística aplicada em inventários florestais: conceito e aplicação.
  • Instrumentos e equipamentos de medição para inventário florestal: fita métrica, fita diamétrica, trena, suta, trado de incremento, hipsômetro, clinômetro. Aplicação e utilização.
  • Inventário de florestas: populações florestais, aspectos quantitativos, qualitativos, técnicas dendrométricas.
  • Matemática aplicada: regra de três, porcentagem, média aritmética, fórmulas aplicáveis.
  • Mensuração e aplicação de cálculo de diâmetro, circunferência e altura de árvores.
  • Mensuração e aplicação de cálculo de volumetria da madeira, aplicação de métodos de cubagem para determinar o potencial produtivo da floresta.
  • Planilhas de cálculo: aplicação.
  • Qualidade no inventário florestal: cálculo do erro amostral, conferências de dados e cálculos dendométricos.
  • Tipos de inventários florestais: conceito, aplicação, métodos e processos de amostragem.
Aplicar métodos de manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas 96 horas de duração
  • Danos causados por pragas e doenças: relação do tipo da praga e doença aos danos causados e quantificação dos danos, características, períodos, e aspectos geográficos e climatológicos que alteram a intensidade dos danos.
  • Normas e legislação vigente aplicadas ao controle de pragas, doenças e plantas daninhas.
  • Plantas daninhas: conceito, identificação e controle das espécies de plantas daninhas prejudiciais as culturas florestais.
  • Técnicas de controle de pragas e doenças florestais: aplicação, métodos legislativos, mecânicos, culturais, resistência de plantas, físico, biológico e químico.
  • Terminologias e conceitos relacionados a pragas e doenças: técnicas de manejo integrado de pragas e doenças florestais.
  • Tipos de pragas e doenças que dificultam o desenvolvimento de espécies florestais: influência de fatores ecológicos.
Auxiliar no processo de colheita florestal, extração e beneficiamento de madeira 72 horas de duração
  • A indústria madeireira, de celulose e papel: aspectos econômicos, ambientais e sociais.
  • Beneficiamento de madeira: métodos, processos industriais.
  • Colheita florestal: conceito, aplicabilidade, planejamento.
  • Descascamento e empilhamento de madeira: descascamento no campo e na indústria, ferramentas utilizadas no descascamento, fator de empilhamento.
  • Legislação do transporte de madeira: Resolução/CONTRAN nº 246, de 27 de julho de 2007; Código Nacional de Trânsito, lei n 9.503 de 23/09/1997; Portaria MMA nº 253, de 18 de agosto de 2006; Instrução Normativa/IBAMA nº 9, de 12 de dezembro de 2016 e demais legislações aplicáveis.
  • Monitoramento dos procedimentos de carga e descarga de madeira processada e não processada: manual e mecanizado.
  • Normas Regulamentadoras: NR1, NR5, NR6, NR7, NR8, NR11, NR12, NR15, NR17, NR20, NR21, NR23, NR24, NR 26, NR27, NR31 e demais normas aplicáveis.
  • Princípios e história da mecanização e colheita florestal no sistema produtivo.
  • Processos utilizados no transporte de madeira e de produtos florestais.
  • Recursos da colheita florestal: máquinas e processos mecânicos.
  • Técnicas utilizadas no corte, toragem e desgalhamento de espécies florestais: sistemas de corte, equipamentos e finalidades;
Elaborar e executar planos de implantação florestal e recuperação de Áreas degradadas 60 horas de duração
  • Avaliação e monitoramento dos processos de recuperação: uso de indicadores bióticos e abióticos para monitoramento, desenvolvimento de protocolos, qualidade do solo, volume da cobertura vegetal, funcionamento da recuperação.
  • Caracterização de áreas degradadas: cobertura vegetal, mata ciliar, características do solo, sensoriamento remoto, Cadastro Ambiental Rural.
  • Espécies vegetais para a implantação florestal em áreas degradadas: caracterização das espécies, espécies primárias, espécies secundárias, clímax, vegetação nativa, vegetação exótica.
  • Etapas de recuperação de áreas degradadas: modelos para recuperação de áreas degradadas, procedimentos utilizados no processo de recuperação, métodos de prevenção.
  • Fontes e efeitos da degradação de ambientes: ação antrópica, causas naturais, consequências na fauna e na flora, tipos de poluição.
  • Legislação: Constituição Federal (Art. 225), Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000, Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, Instrução Normativa ICMBio nº 11, de 11 de dezembro de 2014, Resolução CONAMA nº 429, de 28 de fevereiro de 2011, Decreto nº 8972, de 23 de janeiro de 2017 e demais legislações aplicáveis.
  • Planos de implantação florestal: preparo do solo, adubação, preparo das mudas, semeadura, irrigação, espaçamento entre plantas, espécies concorrentes, sistemas agroflorestais.
  • Relatórios e estudos de áreas degradadas: conceito, aplicação e disponibilidade.
Auxiliar na gestão de unidades de conservação 60 horas de duração
  • Educação Ambiental: Conceito, importância, histórico da Educação Ambiental, projetos e atividades de Educação Ambiental, aplicabilidade em Unidades de Conservação.
  • Legislação das Unidades de Conservação: Sistema Nacional de Unidades de Conservação(SNUC)
  • Metodologias ativas para atividades de cunho ambiental: tipos, recursos e aplicação.
  • Plano de manejo em unidades de conservação: manejos específicos, composição, estruturação, execução e gestão.
  • Unidades de conservação: conceito, importância, criação, conservação, principais unidades de conservação do país e no estado, monitoramento, modelos de gestão. Diferenciação de outras áreas e modelos de preservação como parques, reservas, entre outros.
Estruturar projetos de preservação e conservação ambiental 84 horas de duração
  • Biologia da Conservação: Importância da biodiversidade, Ameaças da biodiversidade, Manutenção da diversidade.
  • Formatação e apresentação de documentos: editores de texto e editores de apresentações gráficas.
  • Investimentos e fontes de recursos para projetos ambientais: parcerias públicas e privadas, ONGs, entre outros.
  • Manejo de conservação de populações, espécies, comunidades e ecossistemas: Uso da Biodiversidade; aspectos sociais, econômicos, ecológicos, culturais e políticos do manejo; A gestão da água, solo, ar, flora e fauna.
  • Política e legislação ambiental referente ao manejo e conservação de recursos naturais e proteção da biodiversidade: Lei de Crimes Ambientais, Lei da Mata Atlântica, Lei Florestal, Legislação sobre proteção e defesa civil.
  • Preservação e conservação ambiental: conceitos e aplicação
  • Principais instrumentos relacionados ao manejo dos recursos naturais renováveis no país.
  • Projeto: Estrutura (objetivo, justificativa, recursos, metodologia cronograma e resultados esperados), escopo, etapas.
Auxiliar na fiscalização e monitoramento a fauna e flora silvestres 72 horas de duração
  • Biomas brasileiros: características de flora e fauna, localização geográfica.
  • Desenvolvimento de ações de monitoramento e educação ambiental para a conservação dos ecossistemas e espécies da fauna e da flora.
  • Ecossistemas: definições, características, fatores bióticos e abióticos.
  • Estrutura e dinâmica de populações: cadeia e teia alimentar, interações ecológicas inter e intraespecíficas, reprodução de fauna e flora, reino animália e reino plantae, sucessão ecológica
  • Fiscalização ambiental: agentes, processos e legislação aplicável.
  • Legislação Ambiental: Uso e Conservação da Fauna e da Flora.
  • Programas de monitoramento de fauna e flora silvestres: bioindicadores, Métodos de Amostragem em Campo, Manejo da Fauna e Flora Silvestre, ferramentas e métodos utilizados para o monitoramento.
Estágio Profissional Supervisionado Técnico em Florestas 100 horas de duração
Projeto Integrador Técnico em Florestas 84 horas de duração

Posso fazer este curso?

  • Acesso ao Curso

- Ensino Médio concluído, ou cursando o 2º ano do Ensino Médio
- Idade maior ou igual a 16 anos.

  • Documento Necessário para Matrícula

- CPF
- RG.

Terei diploma ou certificado?

Sim, este curso possui Certificado de conclusão.